Reduzir fonte Letra tamanho normal Aumentar fonte
  • Mapa do Site

  • Tábuas do Mestre do Sardoal


  • Tábuas do Mestre do Sardoal

Agenda Cultural

março 2019
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
23
24
25
26
28
29
31
Igreja Matriz

Fundada nos finais do século XIV, a Igreja Matriz da Paróquia de São Tiago e São Mateus foi alvo de um conjunto de intervenções mas restam, ainda, vestígios de estilos que vão do Gótico ao Contemporâneo, o que torna esta igreja surpreendente. É o caso da rosácea flamejante e dos portais góticos, com especial destaque para o principal, de arco quebrado, com dois colunelos capitalizados (o da direita representa um rosto feminino e o da esquerda um masculino, com coroa, remetendo, porventura, para os monarcas daquela época).

Junto das entradas podem-se observar lajes tumulares, já desgastadas. No lado esquerdo do edifício localiza-se a torre sineira, que, de acordo com descobertas recentemente, deve remontar ao séc. XVI.

O interior é composto por três naves e cinco tramos, com arcos de volta perfeita. O teto é em madeira policroma, diferente do original. Tem colunas poligonais, robustas, bases largas, arqueadas ligeiramente para fora, vários altares nas naves exteriores, coro-alto e retábulo barroco.

Chama-se a atenção para as tábuas do Mestre de Sardoal que se encontram na Capela lateral dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Aqui pode-se contemplar, também, o soberbo retábulo de talha dourada barroco joanino que fazia parte do primitivo retábulo que da Igreja. O retábulo da Capela-mor é decorado com parras e uvas, simbolizando o sangue de Cristo, e vários puttis e fenix. Tem, também, um trono rematado por um baldaquino onde ficava exposto o Santíssimo Sacramento, decorado à volta por vários anjos músicos. No trono encontra-se a imagem da Imaculada Conceição. Ainda neste espaço pode-se ver os patronos da Igreja (S. Tiago e S. Mateus) expostos em duas mísulas.

Na Capela-mor, nas paredes laterais, encontra-se os painéis de azulejaria (1701) de Gabriel del Barco, importante azulejador espanhol e pintor de tetos da época barroca. Esta terá sido a sua última obra. Retrata a aparição da Virgem do Pilar a S. Tiago, apesar dos portugueses não serem tão devotos da Virgem de Pilar como acontece em Espanha. Do outro lado (à direita) a cena retrata S. Tiago a combater os Mouros.

O teto da capela-mor é em abóbada de berço, com uma pintura que evoca a Sagrada Eucaristia, neoclássica, e tetramorfos. Ainda neste espaço estão duas credenciais barrocas e um Cristo Crucificado de dimensões quase reais. 

A mais antiga imagem da Igreja Matriz, uma Pietà de pedra, policroma, dos finais do século XIV, encontra-se numa das duas mísulas que estão na parede do arco cruzeiro. Apesar dos erros anatómicos, bastante visíveis, a expressividade de Jesus Cristo e de Maria são desconcertantes.
Dignos de nota são ainda, os quatro altares renascentistas de calcário da Batalha, nas naves laterais, decorados com elementos pagãos.
O altar dedicado a São João Batista, barroco, em talha dourada, encontra-se do lado do Evangelho, tendo sofrido uma intervenção infeliz, se compararmos com o lado inverso reservado a S. Pedro.
Nos nichos abertos no retábulo de pedra estão colocadas imagens de S. Roque, Santa Isabel, S. Zacarias, um outro Santo que se desconhece o nome, e a Senhora da Luz com o Menino.
Destaque, ainda, para o altar dedicado ao Salvador do Mundo, localizado logo a seguir à capela lateral do Sagrado Coração, abrigado numa pequena capela lateral, e para a escultura do Menino (em tamanho real) patente num retábulo neoclássico, ao lado de S. José e Nossa Senhora do Rosário.
Do lado da Epístola, encontra-se o altar dedicado à Senhora das Dores, recolhido numa pequena capela lateral, neoclássica. É rematado com um Calvário, esculpido em pedra, adossado à parede. A imagem tem ao seu lado S. Miguel Arcanjo e Santa Inês.
O altar da Senhora da Piedade é de estilo rococó, com uma Pietá do século XVIII. O retábulo é ladeado por nichos com as imagens do beato D. Nuno Álvares Pereira e Nossa Senhora de Fátima e, em cima, S. Domingos.
Outro dos altares, dedicado a S. Pedro, é barroco, em talha dourada, com uma imagem do santo ladeado por dois nichos preenchidos pelas imagens de Santa Filomena e Santo André e, em cima, S. Francisco.
O último altar é dedicado ao Senhor dos Passos, que está ladeado por dois santos desconhecidos. No coro-alto existe um órgão de tubos, possivelmente do século XVIII.

 

Acesso condicionado, pertence à Paróquia. Acessível na Semana Santa ou com visitas marcadas - Contactar Posto de Turismo

 

Localização: Largo da Igreja - Sardoal

 

Festas religiosas:
Procissão dos Passos do Senhor, dois domingos antes da Páscoa
Procissão dos Ramos, domingo antes da Páscoa

 

Semana Santa:
Procissão dos Fogaréus, Quinta-feira Santa
Enterro do Senhor, Sexta-feira Santa
Procissão da Ressurreição, Domingo de Páscoa

 

Festa do Corpo de Deus, 60 dias após a Páscoa


Procissão da Imaculada Conceição, 8 de dezembro

 

Visita Virtual disponível aqui

 

« Igrejas

 

 

 

 

comer ficar entreteni ca da terra